Igreja de Nossa Senhora da Consolação

Image

No que diz respeito à data da sua fundação pensa-se que se trata de uma estrutura da segunda metade do século XVI, pois é a partir deste período que se encontram documentos que a ela se referem.

Em 1594 o imóvel estava a cargo da Irmandade de Nossa Senhora da Consolação de Agualva, que se comprometeu a prestar auxílio aos pobres da região e a assegurar os serviços religiosos de que a comunidade necessitava.

Em 1712, e dado o seu estado de ruina, a referida Irmandade solicitou ao rei D. João V autorização para realizar uma feira no seu terreiro, que lhes permitisse obter lucros para a restaurar e aumentar. A autorização régia foi concedida no mesmo ano e o dinheiro recolhido utilizado na reedificação da estrutura que deve ter ficado pronta ainda na primeira metade do século XVIII. Da estrutura do século XVI nada terá subsistido.

Em 1905 um relâmpago danificou seriamente o imóvel, que logo foi reconstruído, tendo a Irmandade continuado a zelar pela sua manutenção até 1910. A implantação da República, em 5 de Outubro de 1910, levou ao desmembramento da Irmandade e por conseguinte ao encerramento da igreja, que a partir de 1911 ficou votada ao abandono. Porém, a partir de 1930, o padre de Belas e um grupo de fiéis da freguesia iniciaram, mais uma vez, os seus trabalhos de conservação e restauro.

Atualmente a pequena e antiga igreja, de estilo vernáculo, ainda tem um papel importante na vida da comunidade. Substituída, em 1995, pela nova Igreja Paroquial de Santa Maria de Agualva, nela ainda se celebra missa e a sua estrutura mantém-se praticamente inalterada face à construção do século XVIII.