Reabertura da Quinta da Regaleira

Reabertura da Quinta da Regaleira

Na próxima segunda-feira, dia 18 de maio, a Fundação Cultursintra reabre ao público a Quinta da Regaleira, seguindo o cronograma estabelecido pelo Governo para a reabertura faseada dos setores económicos. O primeiro dia que marca o regresso dos visitantes à Quinta da Regaleira no centro histórico de Sintra, será gratuito.

Para salvaguarda da segurança de todos os que visitem ou trabalhem na Quinta da Regaleira, serão adotadas um conjunto de normas e medidas de proteção decorrentes das diretivas das autoridades de saúde no âmbito da prevenção da COVID-19. As novas normas para visitar o espaço incluem o uso obrigatório de máscara, a limitação do número de visitantes nos espaços interiores e a higienização regular das mãos. De salientar que o aluguer de equipamentos audioguias manter-se-á suspenso.

Serão introduzidas limitações e alterações nos circuitos de visita em zonas específicas da Quinta da Regaleira que, pelas suas características físicas e limitações operacionais, recomendem cuidados especiais para assegurar distâncias mínimas de segurança entre visitantes. Este será o caso dos subterrâneos, Lago da Cascata, Torre da Regaleira e Zigurate que se encontrarão encerrados e do Poço Iniciático, que terá o seu circuito de visita encurtado.

A reabertura da Quinta da Regaleira será acompanhada, também no dia 18 de maio, pela reabertura da Quinta de Ribafria, no Lourel, espaço que mantém a gratuitidade de visita dos seus Jardins pelo público.

Todos os colaboradores da Fundação farão uso de máscara, complementada com outros equipamentos de proteção individual, como luvas e viseiras, nos locais de contacto com o público e sempre que as operações o justifiquem.

Estas medidas serão acompanhadas pelo reforço da higienização e desinfeção dos espaços, em especial nos locais onde se registe maior fluxo de visitantes, assegurando a higienização adequada à redução dos riscos de contágio ao nível de visitantes e de colaboradores.

A Fundação Cultursintra FP acompanhará em permanência a evolução da COVID-19 e as recomendações das autoridades de saúde nacionais, ajustando as medidas agora adotadas sempre que as circunstâncias o determinem.